Câmara de Vereadores reduz em 80%

os gastos com diárias

Alvorada, 21 de Novembro de 2017.

Além disso, foram reduzidas as despesas em outros setores, como estágios e serviços de limpeza.


    No início deste ano, em sessão extraordinária, a Câmara de Vereadores aprovou um pacote de projetos que visavam à diminuição dos gastos do Legislativo. Na época, o presidente Darci Barth (PMDB), concedeu entrevista ao Jornal A Semana e salientou que o objetivo do projeto era reduzir violentamente as despesas da Câmara, com uma expectativa de redução de 80% com as diárias.

    Dentre as mudanças aprovadas para diminuir os gastos estavam a regulamentação das diárias, a diminuição de cargos da mesa diretora, uma redução substancial das despesas dos gabinetes dos vereadores, com telefones e que, anteriormente praticamente não havia controle, entre outras ações.

    Todas essas ações visavam uma economia consciente e saudável da Câmara de Vereadores para que seja possível investir nas obras de sua nova sede. E, passados cerca de oito meses de que os projetos foram votados, já é possível averiguar esta redução dos gastos. Isso porque, em levantamento divulgado pelo presidente Barth, a economia dos vereadores em 2017 é grande quando comparada com 2016.

    No último ano, foram gastos R$ 134.936,00 com diárias, além de R$ 46.262,60 com passagens aéreas e R$ 27.395,00 com inscrições em cursos. Já neste ano, as despesas com diárias estão em R$ 26.528,50, com também R$ 15.115,69 para passagens e R$ 8.985,78 em inscrições para formação. Isso gera uma economia de, respectivamente, 80%, 67% e 67% nos cofres da Câmara. Ou, em um número mais expressivo, foram poupados R$ 157.963,63.

    Isso sem contar a redução de 33% do gasto com estágios (de R$ 51.175,00 para R$ 34.185,00) e de 36% com serviços de limpeza e recepção (de R$ 22.802,00 para R$ 14.598,00). O diretor-geral da Câmara de Vereadores, Rodrigo Bolbotka salientou que essa nova legislação sobre as diárias regulamenta vários aspectos que não estavam presentes na antiga e que isso possibilitou um maior controle.

    Além disso, Bolbotka ressalta que a atual gestão optou por trabalhar com foco na austeridade financeira, fazendo possível o controle das despesas, autorizando apenas gastos estritamente necessários. “O objetivo é a conclusão da obra. Para isso, todos os vereadores abriram mão de passagens, diárias, diminuíram o quadro funcional, regularizaram o estágio”, justifica o diretor-geral.

    E este foco na conclusão da nova sede da Câmara também é destacado pelo presidente Darci Barth, que falou sobre a importância que todos os vereadores tiveram para os números alcançados. “Todas essas decisões feitas para que acontecesse essa economia tão grande é de todos os vereadores. Não foi uma decisão minha, mas sim democrática. A ideia é democratizar a gestão”, conta o vereador.

    Além desta nova legislação para as diárias, o vereador Barth também falou que existiram outras ações com o foco na redução das despesas. Uma destas mudanças foi o processo de contratação de estagiários. “Nós fizemos um ajuste com a Promotoria para que os estágios sejam através de processo seletivo e não mais por indicação. Eu sou a favor do processo seletivo, pois isso qualifica o serviço”, destacou o legislador.

    E foram mudanças como estas que fizeram com que o Legislativo conseguisse os recursos necessários para a finalização das obras de sua nova sede. Isso porque toda a economia gerada será destinada para a construção, que deve ser reiniciada ainda no mês de novembro. Atualmente o processo está em fase de licitação e a empresa vencedora deve ser divulgada no início do próximo mês, com retomada logo na sequência.

    Segundo o presidente Darci Barth, a previsão para a conclusão é de quatro meses e, desta vez, a obra não deve ser interrompida. “Obviamente que depende de outras questões, mas estamos trabalhando forte para que essa retomada ocorra ainda neste ano. Foi montada uma assessoria jurídica para trabalhar exclusivamente nesta construção”, salienta o vereador, que também falou sobre a vontade de reiniciar a construção durante sua gestão.

    Essa vontade de fazer parte como gestor de um momento importante para o município se sucedeu devido ao melhor atendimento que será dado para a comunidade e também pela devolução do local atual para a Prefeitura. Com isso, o Executivo também vai economizar com os alugueis na cidade.

(Fonte: Jornal A Semana)